Ana Paula de Assis Matias – 3º Semestre

Você sabe o que é Tráfico Internacional de Pessoas? Você sabe que ele é muito comum, principalmente no que diz respeito a crianças e adolescentes do sexo feminino?

Exploração sexual, trabalho forçado/escravo, tráfico de órgãos e adoção ilegal – Essas são algumas das finalidades desse comércio.

Milhares de crianças e adolescentes do Brasil desaparecem e jamais são encontradas. Tudo leva a crer que são as vítimas do tráfico internacional de pessoas.Isso significa que, milhares de crianças e adolescentes do Brasil, do meu Brasil, perderam a possibilidade de se tornarem quem elas um dia escolhessem ser.

POSSIBILIDADE, essa é palavra que me fez lembrar de uma das frases ditas por a Promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo, Eliana Vendramini, no II Congresso sobre Tráfico Internacional de Pessoas (Pessoas Invisíveis), no qual estive presente: “Escolha faz quem tem opção, quem tem possibilidade.”.

Os dados são alarmantes e angustiam. Por que esse tema ainda não é alvo de ampla conscientização nacional? Por que as escolas, os institutos sociais governamentais, as ONGs, as mídias e os grandes Jornais não relatam e principalmente, não alertam para as formas com as quais os traficantes interrompem a vida de crianças e adolescentes, fazendo disso uma forma de prevenção e início da construção de políticas públicas?

Paralelamente, é comprovado que as vítimas são, em sua maioria, de famílias de baixa renda, o que representa mais da metade do país, conforme dados divulgados pelo ‘EXAME’, em 18 de Setembro de 2019. Isso só comprova o quanto o tema é alarmante e urgente de ser tratado. Link para a matéria 

Pessoas, principalmente crianças e adolescentes, desaparecem todos os dias por conta do tráfico humano: espaços públicos, à luz do dia – aqueles lugares que você nunca imaginou. Ademais, as redes sociais têm contribuído demais para isso, desde falar com desconhecidos e marcar encontros com os mesmos, até somente tê-los nas redes sociais – FIQUE ATENTO – Os traficantes conhecem as famílias de suas vítimas, inclusive sua condição social, econômica e intelectual!

Pouca gente interessada no tema, desestimulação à abertura de Boletim de Ocorrência, pessoas que acreditam se tratar de mito, mas há esperança! “Mães da Sé” é um projeto idealizado por dona Ivanise, que espera há 25 anos por a volta de sua filha, que desapareceu há poucos metros de casa. No site do projeto, são apresentados o panorama dessa problemática, a estatística, as principais causas e o modo como a polícia age, além de ser um meio de denúncia e assistência às famílias de desaparecidos. Acesse aqui.

Disque 100 para denunciar e acesse “Mães da Sé”

Siga o JP3

Instagram: @jornalpredio3

Facebook: fb.com/jornalpredio3

Mais notícias e informações: 

Jornal Prédio 3 – JP3 é o periódico on-line dos alunos e antigos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Centro Acadêmico João Mendes Júnior e a Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito do Mackenzie (Alumni Direito Mackenzie). Participe e escreva!