Ana Paula de Assis Matias – 3º Semestre

Em continuidade ao Direto da Redação anterior, não é muito difícil de se imaginar a vulnerabilidade de crianças e adolescentes brasileiras quando se mora em São Paulo e se conhece a Avenida Paulista, por exemplo.

Andando por ela todos os dias, me deparo com inúmeras crianças e adolescentes nas ruas, à mercê das substâncias entorpecentes, do trabalho infantil e do abuso sexual, alvos fáceis ao tráfico internacional de pessoas, tratado em publicação anterior. Onde está a tutela do Estado, da família, da comunidade e da sociedade, garantida pelos princípios da Proteção Integral e da Solidariedade, definidos na Constituição Federal de 1988 e no Estatuto da Criança e do Adolescente?

Veja o que diz o artigo 227 da CF:

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

E o artigo 4º do ECA:

Art. 4º  É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Será que esses princípios são, na prática, concretizados? Infelizmente, é mais fácil comprovar que não.

De modo geral, muita coisa se interliga para que se chegue nesse panorama: o modo como as instituições estatais e privadas funcionam, a falta de empatia de cada um para com os outros e a ‘Sociedade do Cansaço’ (Byung-Chul, 2017) que se fixa, na qual o que realmente importa é o resultado de cada um em sua vida social, econômica, acadêmica e profissional – não há tempo para ver ou pensar no outro, tampouco em “probleminhas” sociais.

Resultado de imagem para CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RUASEstudo da ONG Visão Mundial identificou 895 crianças e adolescentes vivendo em situação de rua no centro de São Paulo. Imagem retirada do site vermelho.org.br

Siga o JP3

Instagram: @jornalpredio3

Facebook: fb.com/jornalpredio3

Mais notícias e informações: 

Jornal Prédio 3 – JP3 é o periódico on-line dos alunos e antigos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Centro Acadêmico João Mendes Júnior e a Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito do Mackenzie (Alumni Direito Mackenzie). Participe e escreva!