Comissão de formatura é acusada de fraudar sorteios e ofender formandos

por Redação

Alguns dos entrevistados preferiram não se identificar e terão seus nomes ocultados.

Na última terça-feira (19), a criação do perfil @tribuna417transparencia2022, no Instagram, gerou polêmica entre os mackenzistas. A conta publicou diversos prints supostamente vazados do grupo de WhatsApp da comissão Tribuna 417, que organiza a festa de formatura dos ingressantes de jul/2017. As conversas divulgadas no Instagram mostravam os membros da comissão fraudando sorteios e ofendendo formandos.

L., formando que aderiu à festa organizada pela Tribuna 417, contou ao JP3 que a comissão já enfrentava problemas internos há bastante tempo. “A Comissão de Ética deles ou equivalente não tem ética coisa alguma. Ontem, membros da própria comissão, que votaram sempre contra expulsão de membros por ‘falta de comprometimento’ (vulgo frequência) falaram que se limitam a não bater de frente, não questionar condutas ou similar para não serem expulsos.”

A falta de transparência das atividades da comissão foi apontada pelos criadores da conta @tribuna417transparencia2022 como um dos principais motivos para a criação da página. Em conversa com o JP3 via DM, os administradores do perfil afirmaram que “segundo eles [os formandos], a comissão nunca passava informações concisas, não prestava contas, sempre deixava todos no escuro”. 

Os administradores da página afirmaram que não são alunos do curso de Direito e que criaram o perfil com o intuito de expor a insatisfação de parte dos formandos, juntamente com as acusações de fraude. “Na real nem sabemos de quem veio [sic] os prints primeiramente”.

L. corrobora com a afirmação feita pelos administradores da conta: “Muitos alunos das mais variadas salas querem saber coisas básicas (onde está sendo investido o dinheiro, quanto foi pago para X e outras reivindicações que circularam nos grupos) e nem isso temos noção.”

W., ex-membro da Tribuna 417 entrevistado pelo JP3, sustentou a veracidade dos prints divulgados e afirmou que comportamentos antiéticos sempre ocorreram dentro das atividades do grupo. Segundo W., em uma das reuniões, uma parte dos membros da comissão afirmou que, caso formandos específicos ganhassem os sorteios, outros nomes seriam escolhidos.

Procurada pelo JP3, uma dessas pessoas impedidas pela comissão de participar dos sorteios criticou a manipulação feita pela Tribuna 417, mas afirmou que os prints vazados não são suficientes para “julgar totalmente” e que acredita que a comissão tomará atitudes. “Eu confio que eles vão fazer alguma coisa a respeito, eu acho que eles vão punir quem precisa ser punido, acho que eles vão começar a ser mais claros agora”.

Poucas horas após a criação dessa conta no Instagram, a Tribuna 417 divulgou uma nota, rapidamente encaminhada em diversos grupos de WhatsApp, informando o desligamento de um dos membros por falta de comprometimento. A comissão reconheceu a existência dos prints vazados, negando sua veracidade e afirmando que foram retirados de contexto a fim de espalhar confusão entre os formandos. 

Tanto W., ex-membro da comissão, quanto L., formando, em entrevistas ao JP3, apontaram reiteradas condutas antiéticas por parte da Tribuna 417, afirmando que alguns membros da organização têm mais poder do que outros, o que impede a tomada de decisões de forma democrática. “Alguns são mais omissos por terem medo; muitas pessoas ali dentro precisam da adesão que você ganha como comissão”, conta W.

O JP3 procurou a Tribuna 417, que informou a realização de uma prestação de contas para todos os formando aderidos na próxima quarta-feira (27/04), às 21h, de modo online. A comissão afirma que esclarecerá todos os gastos referentes à formatura e se desculpou “pelo sorteio feito de maneira errada” e “pelos comentários negativos mencionados no print”. O comentário completo da Tribuna 417 feito à equipe do Jornal e os dois comunicados oficiais da comissão podem ser lidos nos arquivos disponibilizados ao final deste texto.

Na noite da última quarta-feira (20), a conta @tribuna417transparencia2022 foi desativada. De acordo com story publicado pela página, os posts foram apagados em razão de uma notificação extrajudicial.

Publicado por Redação


Siga o JP3!

Instagram: @jornalpredio3

Facebook: fb.com/jornalpredio3


Mais notícias e mais informações:


Jornal Prédio 3 – JP3 é o periódico on-line dos alunos e dos antigos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Centro Acadêmico João Mendes Júnior e pela Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie (Alumni Direito Mackenzie). Participe!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s