Por Larissa Sousa

Na semana do dia 20 de abril de 2021, viralizou nas redes uma notícia veiculada em um jornal televisivo, com a seguinte chamada: “Gás caro e comida mais saborosa: fogão à lenha vira xodó nas casas”. Essa notícia gerou diversas críticas dos internautas, reacendendo uma discussão que, infelizmente, não é novidade para a mídia: a romantização da pobreza. Diante do contexto pandêmico em que vivemos, é inegável que o mundo todo está lidando com as consequências devastadoras da COVID-19 em todos os seus âmbitos, incluindo os impactos econômicos. Prova disso é que a pandemia levou ao aumento do desemprego em mais de  30% em 2020, fato esse que elevou  a taxa de trabalho informal, a qual atingiu mais de 38% em outubro de 2020.

Tal cenário mostra que, para grande parte da população brasileira, sustentar-se  financeiramente se tornou  um desafio, agravado pelas chances de contágio ao precisar sair do isolamento para buscar a renda mínima para a sobrevivência. Com o número de mortes aumentando cada vez mais, atingindo a média de 3 mil por dia  por conta da COVID, grande parte da população brasileira precisa submeter a si ou a própria família  ao  risco de se contaminar com o coronavírus. 

gás de cozinha
https://www.pragmatismopolitico.com.br/2021/04/romantizacao-da-pobreza-em-emissora-de-ratinho-provoca-revolta-nas-redes.html

Ainda,  o aumento da inflação gerou um aumento do preço de diversos produtos de uso básico pelos brasileiros, como o gás de cozinha, como posto pelo Uol, o que fez com que tal produto se tornasse inacessível para parte da população.

Neste sentido, mostra-se de imenso desrespeito a notícia que romantiza a utilização do forno a lenha por parte das pessoas passando por estresse financeiro por conta da elevação do preço do gás de cozinha, visto que essa medida não se trata de uma opção, mas sim, de uma forma de sobreviver em meio aos impactos econômicos da pandemia. Os indivíduos que estão utilizando forno a lenha para garantir a sua alimentação e da sua família, muitas vezes de forma precária, merecem que sua dignidade seja preservada, e não exposta de forma a dar menos importância à situação extremamente delicada que estão enfrentando.

Como mencionado no início do texto, o debate sobre a romantização da pobreza não é novidade para a mídia, posto que, em 2017, tal tema veio à tona quando João Dória, atual governador do Estado de São Paulo, instalou a distribuição de alimento granulado feito a partir de itens perto do vencimento a famílias carentes. Sob uma máscara de garantir a alimentação à pessoas em situação de pobreza, a distribuição de uma espécie de “ração” retira dos seres humanos o que lhe é de direito: a sua dignidade, na medida em que o alimento representa mais do que a simples nutrição, mas sim, uma relação com a cultura, com as relações familiares, dentre outros aspectos que garantem a humanidade à pessoa

Biscoito feito com Farinata, que é a base do produto que será doado à Prefeitura de São Paulo — Foto: Rosanna Perroti/Divulgação
“Biscoito feito com Farinata, que é a base do produto que foi doado à Prefeitura de São Paulo”, por Rosanna Perrotti/Divulgação.

Assim, em temos de desumanização, faz-se necessário dizer o óbvio: o ser humano tem direito a viver uma vida digna, garantido pela Constituição Federal, em seu art. 1º, III, e não apenas sobreviver, sendo essa última hipótese o que tem ocorrido com boa parte dos brasileiros desde antes da pandemia, cenário o qual foi agravado pelo contexto atual

Referências bibliográficas

“Gás caro e comida mais saborosa: fogão à lenha vira xodó nas casas”. Publicado no Pragmatismo Político, em 23 de abril de 2021. [https://www.pragmatismopolitico.com.br/2021/04/romantizacao-da-pobreza-em-emissora-de-ratinho-provoca-revolta-nas-redes.html]

“Desemprego diante da pandemia bate recorde no Brasil em setembro, aponta IBGE”. Publicado no G1, em 23 de outubro de 2021. [https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/10/23/no-de-desempregados diante-da-pandemia-aumentou-em-34-milhoes-em-cinco-meses-aponta-ibge.ghtml] 

“Taxa de informalidade fica em 38,8% no trimestre até outubro, diz IBGE” Publicado por Istoé Dinheiro, em 29 de dezembro de 2020. [https://www.istoedinheiro.com.br/taxa-de-informalidade-fica-em-388-no-trimestre-ate-outubro-diz-ibge/] 

“Média móvel de mortes diárias por Covid bate recorde e chega a 2.598”. Publicado por Istoé, em 28 de março de 2021. [https://istoe.com.br/media-movel-de-mortes-diarias-por-covid-chega-a-2-598-recorde-no-pais/]. 

“Por que o gás de cozinha está tão caro? Entenda a alta dos preços”. Publicado no Uol, em 29 de janeiro de 2021. [https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2021/01/29/gas-de-cozinha-alta-precos.htm]

“Doria dará alimento granulado feito a partir de itens perto do vencimento a famílias carentes”. Publicado por G1, em 12 de outubro de 2017. [https://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/prefeitura-de-sp-dara-alimento-granulado-a-familias-carentes.ghtml] 

Publicado por Larissa Sousa


Siga o JP3!

Instagram: @jornalpredio3

Facebook: fb.com/jornalpredio3


Mais notícias e mais informações:


Jornal Prédio 3 – JP3 é o periódico online dos alunos e dos antigos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Centro Acadêmico João Mendes Júnior e pela Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie (Alumni Direito Mackenzie). Participe e fique em casa!