Por “Coletivo Feminista Leolinda Daltro”

Existe uma grande parcela da população brasileira que ainda acredita que a razão por trás de atos de violência sexual estão atribuídos a forma como as mulheres se vestem ou se portam no seu dia-a-dia, dificultando com que a vítima possa realmente acreditar que não são responsáveis em forma alguma pela agressão que sofreram.

Para auxiliar a quebrar esse pensamento, o grupo de apoio a vítimas de estupro CAW East Brabant organizou uma exposição de roupas na Bélgica chamado “A culpa é minha?” em referência ao questionamento que muitas vítimas fazem a si mesmas depois de um ataque.

As vítimas são constantemente acusadas de estarem se vestindo de maneira provocativa no momento em que foram agredidas, no entanto, na mostra que está sendo exibida em Bruxelas, podemos ver trajes como calças, camisetas largas, pijamas e até mesmo camisetas infantis com imagens de filmes como “My Little Pony” – todos utilizados por vítimas no momento em que foram agredidas, e que inclusive muitos dos visitantes da exposição podem estar usando peças similares, quebrando o mito de que para se tornar uma vítima de violência sexual é necessário estar se vestindo de uma certa forma ou não.

Em 2015, foi estimado que apenas 10% dos estupros na Bélgica eram denunciados para a polícia, e entre esses, somente um e cada dez resultava em condenação. No Brasil, são 50 mil casos registrados por ano, mas a estimativa é que existam pelo menos 450 mil.

Esses números, segundo Liesbeth Kennes, que faz parte da organização da exposição, se dão pelo fato de a nossa sociedade não incentivar as vítimas a denunciarem ou falarem abertamente sobre o que passaram, além da “culpabilização da vítima”, quando a única pessoa responsável é o próprio estuprador.

27541073_1587381148044966_1073908861140371655_n

Conheça mais sobre o Coletivo Feminista Leolinda Daltro clicando aqui. Curta também a página do grupo no Facebook: aqui.