Por Enricco Gabriel 

Duas meninas de seis anos de idade desaparecidas, sequestradas à luz do dia em meio ao severo inverno de Pittsburgh, segunda cidade mais populosa do estado americano da Pensilvânia. Duas aflitas famílias, ávidas por qualquer informação que ajude a trazer as crianças de volta. Um condecorado policial, desnorteado pelo mais desafiador caso em que já atuou.

Esse é o panorama geral de Os Suspeitos (2013), intenso suspense criminal do franco-canadense Denis Villeneuve, diretor de longas-metragens das envergaduras de A Chegada (2016) e de Blade Runner 2049 (2017). 

Ambientado na antiga capital mundial do aço, o enredo narra a angustiante trajetória de Keller Dover, que, desesperado em razão do recorrente fracasso da força-tarefa que cuida da ocorrência dos sumiços de sua filha e da caçula de seus melhores amigos, decide fazer justiça com as próprias mãos — mas, claro, sem o traquejo necessário para fazê-lo um bom homem da lei.

Cristão devoto, Dover é um sujeito justo, apesar de indiscutivelmente duro. Diante do maior pesadelo de todo pai e de toda mãe, ele espera que o bem prevaleça. Entretanto, a vagarosidade inerente a qualquer investigação policial desse porte o exaspera, o radicaliza e o faz ignorar as súplicas do detetive Loki, que lhe pede confiança e paciência.

Assistindo às graves depressões em que caíram sua esposa e a mulher de seu melhor amigo, Keller assume uma paralela e ilegal busca por respostas — e seu foco é o principal suspeito do crime, que dá motivos de sobra para ser questionado. A princípio compreensíveis, tornam-se progressivamente controversas as medidas do protagonista conforme sua sanidade declina concomitantemente ao passar dos dias e ao aumento da tensão. Não demora muito para que colegas virem cúmplices.

Para que um filme com um roteiro tão complexo e tão repleto de reviravoltas como esse prospere, é imprescindível o alto nível das performances de quem o estrela. Com nomes de peso como Hugh Jackman, Jake Gyllenhaal, Viola Davis, Terrence Howard, Maria Bello e Paul Dano, a maior parte dos créditos merecidos pela película é fruto das impecáveis atuações do elenco. 

A cinematografia, por outro lado, é um espetáculo à parte e, não à toa, recebeu indicação ao Oscar. Evidente, ainda, que o mote do filme é o conflito entre a justiça dos homens e a justiça de Deus. Dover crê no Senhor, mas o que pode um bom homem se tornar graças ao contexto aterrorizante em que está inserido? 

Com primorosa abordagem, Villeneuve se apropria de alguns poucos clichês e lhes confere nova roupagem, tirando-lhes a previsibilidade. Os Suspeitos é um filme longo e absolutamente verossímil que engana prognósticos e que passa longe de ser cansativo. Em um cenário tão nebuloso, há apenas uma certeza: a agonia à qual o espectador será submetido.

Assista ao filme: alugue-o ou compre-o no YouTube.

Imagem:

  1. Reprodução.

Publicado por Enricco Gabriel


Siga o JP3!

Instagram: @jornalpredio3

Facebook: fb.com/jornalpredio3


Mais notícias e mais informações:


Jornal Prédio 3 – JP3 é o periódico online dos alunos e dos antigos alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Centro Acadêmico João Mendes Júnior e pela Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie (Alumni Direito Mackenzie). Participe e fique em casa!