Em notícia de 14.08.18, o Tribunal de Justiça de São Paulo comenta a presença de diversos membros do Judiciário e Executivo nas celebrações dos 65 anos de existência da Faculdade de Direito Mackenzie.

Confira o que o TJSP achou das comemorações!

Matéria original aqui.

Com a presença dos dirigentes dos Poderes Executivo e Judiciário, o curso de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie comemorou hoje (14) seus 65 anos de existência. O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, participou do evento e falou sobre “O Poder Judiciário e o Combate à Corrupção”.

O encontro, realizado no auditório da universidade, contou também com palestras do governador do Estado de São Paulo, Marcio França; do presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, desembargador Carlos Eduardo Cauduro Padin; e do presidente da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB SP), Marcos da Costa. Completaram a mesa das autoridades o desembargador Luiz Guilherme da Costa Wagner Junior, que leciona na instituição, e a professora Regina Barone.

Primeiro a fazer uso da palavra, Márcio França falou sobre eleições e a necessidade de os jovens participarem ativamente da vida política do País. “Infelizmente, as pessoas não se sentem representadas pelos partidos políticos, mas é preciso acreditar que é possível mudar, que a participação popular é necessária para transformarmos aquilo que desejamos. Precisamos estar animados com o nosso País.”

“Fiquei extremamente honrado com o convite para participar desse encontro e fiz questão de estar presente em razão do respeito que tenho por esta instituição”, disse o presidente Pereira Calças – que também é professor universitário – aos alunos, que lotaram o auditório da universidade. O presidente fez um breve histórico do Direito Romano e falou sobre a evolução do conceito de corrupção ao longo dos tempos, citando leis modernas criadas para combater o delito. ”Existem hoje novos institutos, como os que possibilitam a punição de pessoas jurídicas, que representam uma grande evolução.” Ao final, Pereira Calças agradeceu a oportunidade de “compartilhar minha opinião e experiência com todos vocês”.

O presidente do TRE SP, desembargador Carlos Eduardo Cauduro Padin, discorreu sobre o sistema eleitoral brasileiro e incentivou os estudantes a exercerem o direito de voto. “Cumpram seus deveres de cidadãos e sejam multiplicadores da cidadania. Atuem. Não sejam como os pessimistas, que não fazem nada e ficam esperando as coisas acontecerem.”

Marcos da Costa, presidente da OAB SP, contou aos acadêmicos de Direito a história da criação dos primeiros cursos jurídicos no Brasil, da época do imperador Dom Pedro I, em 1827, à promulgação da primeira Constituição Federal. “A criação das primeiras faculdades de Direito, no Largo de São Francisco, em São Paulo, e em Olinda, Pernambuco, teve como fundamento formar brasileiros com conhecimento jurídico em razão do novo cenário no País. Isso demonstra a importância e responsabilidade que vocês têm, devendo participar da democracia e incentivando o envolvimento de todos para termos uma nação mais justa, fraterna e solidária, que nosso povo tanto precisa.”

Também estiveram presentes os desembargadores Manoel Justino Bezerra Filho e Silmar Fernandes; o presidente do Instituto Presbiteriano Mackenzie, José Inácio Ramos; o vice-reitor da universidade, Marco Túlio de Castro Vasconcelos; o reverendo Valdeci da Silva; e o professor Felipe Chiarello.