Machistas não passarão.

Confira a nota publicada pelas integrantes do Coletivo Feminista Daltro sobre os acontecimentos que ocorreram na Rússia.

“Copa do Mundo é sinônimo de festa, comemorações e diversão na torcida…

Mas pra quem?

A Copa do Mundo começou há uma semana e não se passou um dia sem algum relato de assédio e abuso contra mulheres no país sede, Rússia. O assédio parece não ter nacionalidade e isso reflete o caráter universal e perverso do machismo.

Ana Plasencia, apresentadora Colombiana, desabafou durante a transmissão da abertura da copa sobre o assédio que sofrem as jornalistas esportivas logo após a repórter de sua emissora ser agarrada e beijada no rosto por um torcedor, diante o constrangimento sofrido por sua colega de trabalho, Plasencia disse “Percebo que os torcedores tomam a liberdade de distribuir beijos sem pedir permissão… Não merecemos esse tratamento. Somos igualmente competentes e profissionais. Compartilho a alegria do futebol, mas devemos identificar os limites entre afeto e assédio.”

Recentemente, as redes sociais foram tomadas de imagens e vídeos de brasileiros assediando diversas estrangeiras, incentivando-as a gritar frases obscenas enquanto as filmavam.

No entanto, eles não esperavam a força da resposta das feministas no Brasil. Com reprovação e buscando medidas de órgãos e familiares dos identificados no vídeo, os brasileiros seguem sofrendo represálias desde a viralização do vídeo.

O Coletivo Feminista Leolinda Daltro não irá permitir que continue os assédios na Copa e lembra a todas e todos que machistas NÃO passarão e nem aqui e em nenhum lugar to mundo!

Para apoiar a ação de reprovação da atitude dos torcedores, assine o abaixo-assinado abaixo para continuarmos na luta.”

Assine o abaixo-assinado!

Confira no link: https://bit.ly/2K9lczF