Desde 23/10, a Academia de Letras dos Estudantes da Universidade Mackenzie (ALEMack), instituição fundada em 1956, passou a ter uma coluna semanal no JP3. Toda segunda-feira, um acadêmico publicará um texto abrindo os trabalhos da semana. Hoje, o JP3 publica o texto de Leonardo Spínola Alcântara, aluno da Faculdade de Direito do Mackenzie que ocupa a cadeira nº. 04 (Patrono Álvares de Azevedo). Saiba mais sobre a ALEMack clicando aqui e curta a página no Facebook (aqui).

 

Colunas e Decisões

Leonardo Spínola Alcântara

Porque decidi ser colunista? Venho me perguntando a mesma coisa desde que por algum motivo em uma noite de insônia qualquer decidi aceitar o convite para integrar o grupo de colunistas da ALEMack. Gosto de escrever, isso é uma verdade, mas não me dou bem com prazos (mesmo sempre cumprindo tudo no fim das contas) e nunca fui muito fã de publicar o que escrevo. Talvez tenha pensado em me desafiar, em tentar coisas novas, em adicionar mais um item a pilha de “coisas que mudaram em 2017” no meu arquivo mental, ela fica do lado da pilha de fotos de gatos, atrás da minha enciclopédia de fatos inúteis porem muito interessantes.

Sim, 2017 foi um ano de mudanças. De vida, de estilo, de cidade, de amizades… enfim, a pilha é um tanto grande e ainda não para de crescer pois o ano não acabou e estamos todos mudando constantemente. Ficar pensando no passado e tentando se projetar no futuro é um exercício ao mesmo tempo interessante e assustador. Apesar de necessário saber de onde você veio para perceber o quanto caminhou e não se deixar estagnar pela rotina e ter sempre novos planos eu ainda prefiro viver no presente. Viver as mudanças, as experiências. Aprender a desfrutar o momento. Isso é algo recomendado a todos

Além de desfrutar é necessário entender que tudo na vida, independente de fatores externos, é de responsabilidade sua. Mesmo se a culpa  não for sua, a responsabilidade de como lidar com o fato é. Dando um exemplo pessoal, atualmente minhas responsabilidades se dividem em acabar a semana de provas e redigir esta coluna (que está sendo escrita de última hora devido a procrastinação extrema deste que vos fala). Poderia ter pensado em alguma desculpa, bloqueio mental ou fatores externos para determinar que “não foi porque eu quis escrever de última hora”?. Perfeitamente. Poderia justificar minha escolha dizendo que me viro melhor sob pressão e por isso a adrenalina me ajuda a escrever? Sem dúvida. Mas fazer isso não me levaria a muita coisa.

Assumir responsabilidades e lidar com elas da melhor forma possível é o que nos faz feliz. Resolver problemas é o que nos faz feliz. E o mais importante, aceitar que não é a todo momento que vamos estar felizes, por algum motivo bizarro, nos faz mais felizes. Descobri todos estes ensinamentos em um desses livros de autoajuda da vida, e desde então tenho tentado colocar em pratica.

Acho que esse é um dos motivos por eu ter aceitado escrever aqui. Para ter um cantinho da internet onde possa deixar uma porção de experiências para a posteridade. O tempo que nos resta neste planeta é pouco (independentemente de qualquer vida pós-morte), porque não aproveitarmos o que temos, assumirmos nossas próprias responsabilidades e tentarmos fazer o melhor com o que tempos? Ninguém se beneficia tentando ser feliz o tempo todo, então é melhor continuarmos em frente e ver até onde conseguimos chegar.

Apresentação2